Princípios decisivos para um jovem que deseja influenciar!

Pr. Josué Gonçalves

Ser jovem é uma fase muito importante da vida de qualquer ser humano onde decidimos muitas situações como que faculdade fazer e profissão a seguir, escolha de um cônjuge para casar, mas mesmo em meio a essas decisões como ser um jovem que influencia?

Veja 10 maneiras de ser um jovem que influencia da forma certa:

1) O segredo do seu futuro está escondido em sua rotina diária. O que você faz diariamente determina aquilo em que você se tornará permanentemente. Homens bem sucedidos fazem diariamente o que homens fracassados fazem ocasionalmente.

2) A instrução que você segue determina o futuro que você cria;

3) O seu sucesso é decidido pelo que você está disposto a ignorar;

4) As mudanças em sua vida serão sempre proporcionais ao seu conhecimento;

5) Se você deseja algo que nunca teve, faça algo que você nunca fez;

6) Nesta vida você só será lembrado por duas coisas: pelos problemas que você resolveu ou pelos problemas que você criou;

7) Se você insistir em tomar algo que Deus não lhe deu, ele tomará de volta algo que lhe tenha dado;

8)  Nunca reclame do que você permite;

9) Honra é a semente da longevidade;

10) Algo que já está em sua mão pode criar o que você deseja para o seu futuro.

 

Seja um jovem diferente nas atitudes e decisões, você pode gerar mudanças na sua geração, pois somos povo escolhido do Senhor, a maturidade não vem somente com a idade, mas sim com o conhecimento, decisões assertivas e vida com Deus.

 

Qual é o retrato de sua autoimagem?

Pr. Josué Gonçalves

Podemos desenvolver uma auto imagem mais saudável. As pesquisas mostram

que tendemos a agir de acordo em harmonia com nosso autorretrato.

A nossa auto-imagem influencia a nossa vida social, nosso desempenho profissional e nosso relacionamento com outras pessoas.

A nossa auto-imagem tem uma estrutura definida, composta por conclusões que tiramos a nosso respeito.O perigo de estar olhando a vida através de lentes manchadas. Sua auto imagem é como um conjunto de lentes através das quais você vê a realidade.  

Veja os resultados de uma autoimagem negativa?

 

1- Atitude pessimista diante da vida;

2- Falta de confiança para apresentar-se socialmente;

3- Extrema sensibilidade quanto às opiniões alheias;

4- Preocupação excessiva quanto a aparência;

5- Visão das outras pessoas como concorrentes que precisam ser vencidos e não como amigos para compartilhar;

6- Senso de masculinidade ou feminilidade direcionados apenas para conquistas sexuais;

7- Esforço para tornar-se alguém ou alguma coisa, em vez de relaxar e de ter prazer em ser o que se é;

8- Visão do presente como algo a ser ignorado, focalizando maior sucessos passados ou sonhos futuros;

9- Visão acusatória ou crítica dos outros;

10- Atitude defensiva em conversas e no comportamento usual;

11- Uso da ira como defesa para não se ferir;

12- Tendência de desenvolver relacionamentos de dependência;

13- Incapacidade para aceitar elogios;

14-  Hábitos de comportamento derrotistas;

15-  Hábito de deixar que os outros a conduzam;

16- Medo da solidão;

17- Medo de intimidade nos relacionamentos interpessoais;

18- Problemas quanto a aceitação do amor de outras pessoas;

19- Dependência dos bens materiais para se sentir segura;

20- Incapacidade de demonstrar emoções;

21- Habito de usar rótulos negativos em relação a si mesmo;

22- Tendência de seguir a multidão, não tem opinião própria;

23- Comportamento perfeccionista;

24- Hipersensibilidade. 

 A CURA PARA A AUTO IMAGEM DISTORCIDA. 

  • Vendo a realidade pelo lado certo. (A Bíblia é a base.)
  • O caráter de Deus e você. A chave para compreender a verdade sobre nós como indivíduos Cristo é primeiro entender quem é Deus. (Sl 24:8).
  • Vendo-se como Deus o vê (Ef 1)
  • Somos abençoados com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais (v.3).
  • Fomos escolhidos antes da fundação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis perante Ele (v.4).
  • Fomos predestinados para a adoção de filhos (v.5).
  • Fomos redimidos pelo seu sangue (v.7).
  • Fomos selados em Cristo, com o Espírito Santo (v.13).

Se você, entretanto, é crente, pode dizer o seguinte a seu respeito, tenho paz com Deus (Rm 5:1), sou aceito por Deus (Ef 1) e sou filho de Deus (Jo 1:12). Viva como um verdadeiro filho na terra.

 

Existem mandamentos no namoro?

Autor(a): Pr. Josué Gonçalves

Namoro é uma fase muito bonita. É definida como o ato de galantear, cortejar, procurar inspirar amor a alguém. O namoro cristão, tenha a idade que tiver, deve ser uma convivência afetiva preliminar que amadurece e prepara o casal para o compromisso mais profundo. O contrário disso, longe dos princípios de Deus, pode resultar em uma experiência nociva e traumática.

Observe alguns princípios que ajudam a manter o seu namoro dentro dos princípios de Deus.

  1. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.
  2. Não se prenda em um jugo desigual (II Co 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem o relacionamento com Deus a sério.
  3. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento.
  4. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza.
  5. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.
  6. Cultive o romantismo: a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.
  7. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recíproco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindível para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor.
  8. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é elemento imprescindível em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade.
  9. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los.
  10. Forme um triângulo amoroso: namoro realmente cristão só é bom a três: o casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.

Deixe Deus orientar e consolidar seu namoro. Viva integralmente as bênçãos que Deus tem para você através do namoro. E seja feliz.

 

Conheça os inimigos da proteção:

Por Josué Gonçalves

“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua Palavra. De todo coração te busquei; não me deixe fugir aos teus mandamentos. Guardo no coração as tuas palavras para não pecar contra ti”. (Salmo 119.9-11). 

  • As más companhias (A turma).
  • As tendências negativas da moda.
  • O lado negativo da mídia.
  • O uso errado da internet.
  • A música que não faz bem.

Coloque algumas barreiras protetivas no seu coração

Esteja sempre aberto para aprender. Aprenda principalmente com os erros dos outros, leve a sério a “prestação de contas”, a autoridade dos pais, mantenha seu nível de resistência alto, vida de oração significativa, leitura bíblica devocional, cultive relacionamentos enriquecedores,   Nunca brinque de se arriscar e cubra sempre seus pontos fracos.

 Faça o  teste do espelho sempre

A primeira pessoa que devo conhecer bem sou eu mesmo – Autoconsciência. Faça sempre uma introspecção. Cuidado com o EU-CEGO.

A primeira pessoa com quem devo me dar bem sou eu mesmo – Auto-imagem.

A primeira pessoa que me cria problemas sou eu mesmo – Autocrítica.

A primeira pessoa que preciso mudar sou eu mesmo – Desenvolvimento pessoal.

Diante das circunstâncias vivenciadas devemos sempre refletir sobre as máximas que ocorrem, verificar se as reações são de fato de uma pessoa que dá testemunho de uma pessoa cristã, portanto, viva com o pensamento sobre as coisas do alto, tudo o que é bom, nisso pensai.

Se avalie periodicamente e peça a ajuda do Espírito Santo para que se proteger do que não agrada o coração do Senhor.

 

 

Existe uma idade certa pra casar?

Os jovens, ou melhor, os adolescentes estão começando os namoros mais cedo, nem quero entrar no âmbito da precocidade dos adolescentes, o problema não está apenas no começo do namoro, mas também no fim dele.

A nossa sociedade capitalista e triunfalista nos formatou da seguinte forma: o certo é casar depois que a vida estiver estável financeiramente.

Os meus pais se casaram com 19 anos, a minha geração se casou com 25 e agora a maioria está se casando com 28, 30 anos.

Está posto à mesa um problema que não se viu antes, a fase de namoro de uma pessoa deu um salto de 4 anos a 20 anos em pouco mais de uma geração.

E quanto a nós, cristãos, que acreditamos que o sexo é para o casamento?

Um adolescente recebe, desde os 10 anos, uma carga grande entre os amigos para namorar, ouve na igreja para se abster do sexo e ouve dos pais para nem pensar em casar antes de se formar na faculdade.

Soluções como a proibição dos pais ao namoro até certa idade já se mostrou apenas um combustível altamente inflamável para os adolescentes. A proposta dos líderes de jovens para um namoro sem nenhum contato físico, a corte, não foi aceita pela maioria e acabou gerando muitos fariseus legalistas e mentirosos entre seus membros.

Em uma coisa acredito que todos concordam, no “carro chamado intimidade” no namoro não existe marcha ré.

A pergunta é: o que se deve ensinar para esta geração chegar ao casamento sem transar?

A maioria prefere ignorar o problema e continuar falando genericamente do assunto, outra parte quer ensinar baseado em um pecado: o medo.

Colocam medo nos adolescentes, além de mandarem para o inferno os que caíram, gastando horas mostrando que as meninas podem engravidar, pegar uma doença fatal, e a mais usada, pode criar traumas que irão carregar para o resto de suas vidas.

Todas essas consequências eu acho que são reais e devem ser expostas, mas não dessa forma.

João falou em sua carta que “no amor não existe o medo, antes o perfeito amor lança fora o medo”.

Estamos falhando, porque a solução não é o terror e nem o medo, é o amor.

Acredito fielmente que a tarefa quase impossível de se guardar para o casamento não é conquistada por mais ou menos leis, por medo, mas sim por amor a Deus.

Se nós nos aproximarmos de Deus de tal forma e chegarmos a Ele como amigo íntimo, entenderemos o que Ele fez na cruz por nós.

Aí sim começaremos a entender que não temos que obedecer a bíblia para não ir para o inferno ou para não receber castigo de Deus, mas sim porque amamos e somos gratos para com aquele que nos salvou.

Alguns podem até cair, pois nem sempre permanecemos focados em Deus, mas assim que o Espírito nos lembra do evangelho, voltamos a querer, acima de nossas vontades, agradá-lo em gratidão.

Acredito que uma boa conversa preventiva, uma boa educação em casa e na igreja ajudam, mas acredito fielmente que a boa conduta de alguém está baseada no amor e na gratidão de uma pessoa que foi salva por Cristo.

 

 

Por Jaime Kemp

Uma importante percepção sobre namoro e noivado

Falar sobre namoro é definitivamente bem delicado e pessoal. Certo dia, veio conversar comigo, uma moça que já havia participado de um dos conjuntos de Vencedores por Cristo. Fez o treinamento intensivo e sabia os princípios de Deus para o namoro cristão.

Descobri que estava namorando um rapaz não crente, e perguntei-lhe: “Cristina, o que você está fazendo? Já esqueceu o que estudamos sobre o plano de Deus para esta área de sua vida?”.

Ela ficou quieta e pensativa, respondendo depois: “Sabe, Jaime, é verdade que ele não é crente, mas é um cara muito legal; é mais cavalheiro que a maioria dos rapazes que conheço; me leva à igreja e creio que está aberto. Vou testemunhar para ele e ganhá-lo para Cristo”. “Cuidado com esse tipo de justificativa”, eu disse, “você tem certeza que isso não é a voz do diabo cochichando ao seu ouvido?”

Ela saiu de meu escritório tentando me convencer de que aquele relacionamento não ia prejudicá-la, e meses depois casou-se. Fiquei pensando, “será que ele entregou sua vida a Jesus?”

O que aconteceu com o passar do tempo?

Depois de um ano e nove meses, Cristina me telefona chorando e dizendo: “Jaime estou desesperada, preciso urgentemente falar com você”. Marcamos um encontro no escritório e quando a vi, fiquei assustado, seu semblante mudou para uma aparência triste, frustrada.

Uma das primeiras coisas que disse foi: “Eu não o conhecia. Antes de casarmos ele era gentil, atencioso, carinhoso, ia à igreja.

Agora ele mudou completamente, não quer saber mais da igreja, até parece que o amor e carinho que sentíamos um pelo outro acabou”.

A conversa acabou com ela dizendo: “Jaime, já iniciamos o processo de divórcio”. Hoje ela está divorciada e tem uma filhinha. Não sei o que vai acontecer com Cristina, mas sei que não teria passado por essa dor, se tivesse obedecido aos princípios da Palavra de Deus.

Deus não pode abençoar um namoro iniciado com desobediência…

Às vezes me dizem: “Meu pai não era crente quando se casou, mas agora é líder em nossa igreja”.

Como responder a esse raciocínio? Pela graça e misericórdia de Deus seu pai é crente! Louve a Deus por isso, mas não adote essa linha de pensamento porque para cada caso assim, eu posso contar nove casos de casamentos mistos onde há tristeza, brigas, desarmonia e divórcio.

Em II Coríntios 6:14-18, Paulo dá uma instrução muito importante sobre esse relacionamento tão íntimo.

Leia o texto lembrando-se que a cidade de Corinto era tremendamente pecaminosa, comparável a São Francisco na Califórnia ou ao Rio de Janeiro aqui no Brasil.

Faziam parte da adoração no templo pagão 1000 prostitutas. Foi lá que Paulo pregou o evangelho transformador – “Não vos ponhais em julgo desigual”.

Em 1967, meu primeiro ano no Brasil, viajamos no interior de Minas, onde vi um carro de boi. Impressionei-me com o jugo, ou canga, sobre o pescoço dos bois. Fui criado na roça e já sabia que não é possível colocar um boi e um cavalo juntos na mesma canga para puxar o carro, porque a natureza deles é diferente. Um sairia correndo para um lado, e o outro, devagar para outro.

Paulo usa a canga como ilustração para descrever o relacionamento íntimo entre as pessoas. Não ponha seu pescoço para trabalhar, andar junto, criar filhos, servir ao Senhor, na mesma canga com uma pessoa que não tem Jesus como Senhor.

Paulo fez cinco comparações para enfatizar que um casamento misto não dá certo.

Primeiramente, “não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos”.

Em segundo lugar ele pergunta, “será que existe sociedade entre a justiça e a iniqüidade?”, isto é, não há possibilidade de trabalharem juntos.

Em terceiro lugar, “Que comunhão há entre a luz com as trevas?”.

Somos filhos da luz, não há possibilidade de termos comunhão com os filhos das trevas, o comportamento e filosofia e os valores são diferentes.

Um rapaz pode-me dizer: “Jaime, você está dizendo que minha garota de olhos azuis, bonita toda vida, é filha das trevas?”.

Não sou eu quem diz isso, mas é Deus! Se ela não foi lavada pelo sangue de Cristo, não faz parte da família de Deus, portanto, não há nenhuma possibilidade de um relacionamento mais íntimo com ela.

Em quarto lugar, Paulo pergunta, “ou que união pode haver do crente com o incrédulo?”

Fomos comprados por um preço alto, não pode existir unidade entre o santuário de Deus e os ídolos.

Em quinto lugar, “que harmonia pode haver entre Cristo e o Maligno?”. Aqui Paulo não fala apenas de um descrente, mas de alguém totalmente nas mãos do diabo, muitos jovens não querem casar-se por não conhecerem casamentos harmoniosos, famílias felizes.

É pena, pois o casamento é a primeira instituição de Deus. Portanto, dentro dos planos e princípios de Deus, tem que ser o relacionamento mais bonito.

Jovens noivos, Deus quer andar e habitar entre vocês, participando de suas atividades, não há dúvida alguma de que devemos ser luz e sal na sociedade em que vivemos, iluminando e preservando o que resta de uma sociedade decaída.

Isso requer nossa amizade e presença entre pessoas na sociedade, mas Paulo está-se referindo a intimidades como namoro, noivado e casamento.

Posso dizer, sem medo de errar, que 75% de todos os problemas que encontro em meu aconselhamento de casais, têm sua origem na época de namoro e noivado.

Jovem, Deus tem um plano maravilhoso para você!

Deus está mais interessado com quem você vai casar-se, do que você mesmo. Espere nEle e Ele tudo fará.
“Agrada-te do Senhor e Ele satisfará os desejos do seu
coração”.

Deus me deu esse versículo quando eu estava inquieto e inseguro com relação a esta área da minha vida. Deus não falha. Verifique se seus desejos estão dentro do padrão de Deus e espere.

Deus sabia exatamente que tipo de esposa eu precisava e me deu uma linda loira. Ele será fiel com você também. Basta confiar e esperar.

Com isso, fica bem claro em nossa mente a importância da escolha certa. Colocar-se em jugo desigual resulta em casamento incompleto, porque o aspecto prioritário, que é a unidade espiritual, está perdido. Uma vez tomada essa decisão, a segunda será: “Vou basear nosso namoro e noivado nos princípios de Deus”.

“Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus (I Coríntios 10:31).

“Namoro a três!”

Certa vez, num dos meus seminários, perguntei aos rapazes: “Quando foi a última vez que você orou com sua garota?”.
Depois, um deles me disse: “Jaime, oração no namoro? Não tem cabimento!”.

Se não há ambiente para a oração, alguma coisa está errada no seu relacionamento, porque a oração deve ser a prática mais espontânea na vida cristã, dentro ou fora do namoro.

Nossa tendência é catalogar coisas que achamos que são espirituais e as que achamos serem do dia a dia, por exemplo, muitos acham que lecionar na Escola Dominical é atividade espiritual, mas não pensam que conversar com o namorado, ou comer pizza juntos seja atividade espiritual. Paulo acaba com essa ideia em I Coríntios 10:31.

Deus quer participar de todas as atividades de nossa vida.

Uma moça disse-me uma vez que não lia a Bíblia ou orava com seu namorado por ser ele tímido.

Posso entender essa timidez se ele for crente novo, ou se o namoro está no início. Entretanto, se depois de seis meses ou um ano, ele não pode ou não quer orar e ler a Bíblia com ela, esse relacionamento deve ser seriamente avaliado. Se não desenvolverem esse alicerce, o seu casamento não resistirá às tempestades e crises que a vida conjugal trará. Sem os princípios de Deus bem definidos, é impossível tomar decisões corretas no namoro, noivado ou casamento.

extraído do livro: Antes de Dizer Sim. Jaime Kemp. p.25

 

 

Você quer encontrar um amor pra vida toda?

 A maioria de nós cresceu ouvindo histórias de suspense ou lendo romances, em que o príncipe encantado levava a mocinha pobre embora no seu cavalo, e eles viveram uma vida longa e feliz. Mas na vida real isso não acontece, e há milhares de pessoas solitárias. Como podemos achar um cônjuge?

 

Aqui seguem algumas sugestões que podem ser útil a você nessa busca.

 

Coloque a sua vida por completo nas mãos do Senhor através de uma oração consciente (Sl 37.4). Faça do Senhor Jesus não somente o seu Salvador, mas também o Senhor (dono) da sua vida.

Reflita em como você poderá crescer espiritualmente. Seu crescimento e maturidade espiritual são essenciais, independentemente se você se casar ou não. Maturidade espiritual também ajudará você a receber a direção de Deus neste assunto tão importante. Caráter de Cristo – fruto do Espírito (Gl 5.22,23).

 Esqueça o “príncipe encantado” e busque alguém de acordo com a vontade de Deus para a sua vida (Rm 12.2; Mt 6. 9,10; Ef 5.17:1 Jo 2:17).

Às vezes os nossos sonhos podem ser de Deus, mas na maioria das vezes são resultados de ter visto filmes ou lido romances em excesso.

Aprenda a diferença entre atração física e amor verdadeiro, que realisticamente aceita o parceiro como ele é. 

Em muitos países existem serviços de intermediação entre homens e mulheres, que desejam se casar.

Muitas vezes trabalham através de análises por computador, você preenche um formulário com seus dados, e o computador procura a pessoa indicada para você, com gostos e características idênticas.

Neste caso, duas pessoas que se parecem, estão sendo aproximadas.

Se as duas são irados, poderão ter brigas fortes com pratos voando pela cozinha!

Na verdade, se Deus aproxima duas pessoas, estas até poderão ter algumas características idênticas, porém, muitas vezes bem diferentes.

Uma pode ser introvertida e tranquila, a outra extrovertida e exuberante.

Deus deseja que nós nos completemos, e mutuamente auxiliamos. Não é necessário que sejamos iguais.

Decida nunca se casar ou mesmo sair com um(a) eventual candidato(a) que não seja cristã(o), (Amós 3.3; 2 Co 6.14-18; Gn 24.2,3).

A Bíblia nos indica que não devemos entrar em julgo desigual com um incrédulo, porque entre luz e trevas não pode haver comunhão.

Comece a orar por um cônjuge, e agradecer a Deus por aquele(a) que Ele tem para você. Creia que Ele ouvirá a sua oração, e irá unir vocês. Lembre-se, que Deus não é limitado à sua igreja ou círculo de vivência. Ele poderá se isso for da vontade d’Ele, até trazer uma pessoa do outro lado do mundo para você. 

Não diga: o que um cônjuge poderá me oferecer?

Mas diga: o que EU tenho para oferecer ao meu futuro cônjuge? (Ec 4.9-11).

Se você desejar que o seu futuro cônjuge tenha determinadas qualidades, você mesmo tem que desenvolver essas qualidades na sua vida.

Aprenda a arte de conversar com as pessoas, se interessando por elas, e de amá-las.

Homens e mulheres são atraídos à pessoas que amam e que se interessam pela vida dos outros, que têm personalidades amáveis.

Pare de pensar somente em você e nos seus  interesses e comece a se interessar por aquilo que tem a ver com outras pessoas.

 

Preencha os anos que você passa sozinho(a) com coisas construtivas (Pv 18.24; 1 Co 15.33). Apoie a sua igreja, dedique tempo a Deus e aos outros. Talvez você poderá passar algum tempo fora do país, para ajudar em missões; começa ter um hobby ou faça um curso, para ter uma escolarização melhor, ou faça um curso num seminário.

 

Busque equilíbrio interior e fique livre de complexos e obsessões, antes que você se case. Todos nós precisamos de cura em algumas áreas das nossas vidas. Se duas pessoas entrarem no casamento com um saco de problemas nas costas, serão dois sacos prontos a explodir.

 

Muitos cristãos não cuidam da sua aparência, pensando que somente a beleza interior é importante (Ex. Rebeca e José do Egito Gn 24). Poucos de nós tem um rosto ou um corpo perfeito, mas cada pessoa pode ser atraente, se esta se cuidar. Conselho para as moças: experimente um corte de cabelo diferente, ou um estilo de roupas diferente. Se você é obeso(a) aprenda a se alimentar de forma equilibrada, faça exercícios físicos, tome dois litros de água por dia. Se você cuidar do seu físico, você terá mais auto-confiança. Porém, há o excesso inverso também: homens e mulheres obcecados em cuidar do físico, roupas e dietas. Seja moderado.

Moça, não pense, que através do seu estilo sensual de se vestir, você vai atrair o príncipe encantado. Homens cristãos, que levam a sua vida com Deus e sua pureza a sério, vêem na moça sensual uma tentação, porque pensam que ela se oferece para aventuras sexuais. Eles, portanto, fugirão de uma moça vestida e comportando-se de forma sensual.

Ore, para que Deus lhe mostre qual é o plano dele para a sua vida.

Talvez Ele tenha um ministério ou uma direção especial para você. Você somente poderá achar o melhor de Deus para você, se você trilhar o caminho que Ele lhe indicar. Uma moça foi à África para fazer um trabalho missionário entre uma tribo. Durante muitos anos ela era a única estrangeira na tribo e na região. Quando um homem sueco visitou o posto missionário, o Senhor lhe falou que este homem seria seu marido.

Ela era bastante sábia e espiritual para não se manifestar a respeito. Depois de um tempo, ele a pediu em casamento. A obediência com qual ela seguiu o caminho do Senhor deram a ela um grande presente: um marido que trabalharia ao lado dela.

 

Moça, aprenda a cozinhar, decorar, costurar… Prepare-se de maneira prática para o casamento. 

Evite situações na qual você, sentindo-se solitário, poderá ser tentado a ceder a ter um relacionamento sexual. Isso poderá acontecer quando alguém lhe oferecer uma carona do serviço para casa; não convide uma pessoa do sexo oposto sozinha para a sua casa ou apartamento; não peça aconselhamento de uma pessoa do sexo oposto sozinho.

   Se você necessitar de aconselhamento ou oração, procure uma alguém do mesmo sexo, ou marca com seu pastor e a esposa dele. (Pv 13.16; 14.35; 17.2; 22.3). 

Muitas pessoas se casam porque receberam uma profecia ou palavra de conhecimento, que tal pessoa era para elas.

Isso é perigoso e às vezes irresponsável. Os dons do Espírito podem confirmar um amor, mas somente quando Deus já nos mostrou pessoalmente que o relacionamento era da vontade d’Ele. Se não existir amor entre as duas pessoas, deve-se descartar essa “profecia”.

Em alguns casos, Deus poderá ter um ministério para uma pessoa que poderá ser melhor executado se a pessoa permanecer solteira – durante uma fase da sua vida ou durante toda a sua vida.

Se você tem a impressão que Deus pedirá a você esse sacrifício, você poderá pedir que Ele faça cessar o desejo de casar em você, e que lhe dê o “dom de ficar solteiro”, de não sentir necessidade de um relacionamento sexual.

Tenha a certeza que você será mais feliz, solteiro(a), realizando o plano de Deus na sua vida, do que  casado(a) fora da vontade de Deus.

No demais coloque Ele sempre em primeiro lugar, viva a vida de forma honesta e pura diante do Senhor, levando a Ele toda oração e súplica, seja servo(a) e viva para Ele, o cônjuge Ele acrescenta.

UMA FAMÍLIA EM GUERRA

Autor(a): Michelson Borges

O casal da cidade de Grenoble, na França, mal acredita no recado que acaba de receber.

Seu filho Eric, de 21 anos, está movendo um processo contra eles. “Meu marido chegou a rir, achava que nenhum juiz iria levar aquilo a sério”, conta a esposa.

Estudante de ciências sociais, o rapaz saiu de casa em meio a uma discussão em que acusou a família, entre outras coisas, de “falta de maturidade política”.

Depois de ficar três meses na casa da mãe da namorada, acionou a família judicialmente, alegando abandono de sustento.

Ganhou o direito de receber dos pais o equivalente a mil reais por mês.

Eric, que hoje vive com a namorada, só fala com a família por meio de advogados.

O policial Lionel Delbeck também passou por uma experiência igualmente amarga, no qual foi processado pela filha de 19 anos, diz que não se esquece do dia em que esteve frente a frente com ela no tribunal. “Não conseguia parar de chorar”, conta.

Condenado em primeira instância, conseguiu reverter a sentença depois de provar que a moça havia abandonado os estudos e que o motivo da ação era o plano de viver com o namorado. “Até hoje não consigo falar com ela”, diz o policial.

 

Por que filhos levam à família aos tribunais?

 

Levar os pais para o tribunal está virando moda na França. Em um só ano, quase dois mil jovens processaram os próprios pais com o objetivo de obter uma espécie de mesada compulsória, o que por lá é legitimado pela lei.

O Artigo 203 do Código Civil estabelece que as famílias têm o dever de sustentar os filhos até que eles encontrem um emprego estável.

“É a justiça patrocinando a desintegração da família”, reclama Hillary Rocca, casada com o engenheiro Patrick Rocca, ambos devidamente enquadrados.

Com amparo legal ou não, o que se percebe em todo o mundo é a crescente falta de respeito por parte dos filhos e a consequente fragilização das relações familiares.

Existe um verdadeiro abismo entre as relações familiares dos tempos modernos e as da época bíblica.

Naqueles tempos, a consideração pela opinião e experiência paternas era tão grande que frequentemente os filhos permitiam aos pais escolherem seu cônjuge.

É o que ocorreu com Isaque, seu pai, Abraão, já bastante idoso, preocupado com o futuro do filho, enviou seu “mais antigo servo”, que governava tudo o que o patriarca possuía, a buscar uma esposa para Isaque.

E a história teve um final feliz, sendo Rebeca uma bênção ao “filho da promessa”.

O respeito aos pais é algo tão importante que existe um mandamento, entre os dez, que ordena: “Honra teu pai e tua mãe” (Êxodo 20:12).

Um dos propósitos deste mandamento é criar o respeito por toda autoridade legítima.

É claro que, para serem respeitados, os pais devem respeitar e amar seus filhos.

Em Efésios 6:1- 4, o apóstolo Paulo fala sobre os dois lados da questão: os filhos devem honrar os pais e os pais não devem irritar os filhos.

Seria bom as famílias modernas darem mais atenção às recomendações bíblicas no que diz respeito às relações familiares.

Triste como possa ser a condição atual de muitas famílias, essa situação se constitui num dos claros sinais da breve volta de Jesus.

O apóstolo Paulo afirmou que, nos últimos dias, as pessoas seriam “desobedientes aos pais” (2 Tm. 3:2).

Como Jesus virá para restabelecer as condições de vida que havia antes do pecado, um de seus objetivos será acabar com a “guerra em família” e estabelecer a grande família dos salvos, pertencemos todos a um mesmo reino.

 

Apenas um olhar

Por: Elizabete Bifano

Os olhos de milhares de pessoas também estavam voltados para seu novo presidente que, emocionadas, ali se fazia presente para a cerimônia, esperançosas de que uma nova era para o mundo está se iniciando, entretanto, o que mais me chamou a atenção foi outro olhar – de Michelle Obama.

Enquanto seu marido pronunciava o juramento de posse, seus olhos, fixos no rosto dele, denunciavam um maravilhoso brilho de admiração.

Fiquei emocionada. Me fez pensar… Michelle é uma mulher bonita, jovial, inteligente, mãe competente, em franca ascensão profissional, admirável, porém, ser tudo isto não a faz sentir-se melhor que o marido, mas a faz sentir-se mais importante.

 

Um olhar profundo sobre o casal Obama… 

Ao dar início a campanha presidencial Michelle fez um acordo com o marido.

Ela o apoiaria, mas ele teria de estar com as filhas uma vez por semana. O acordo foi cumprido.

Que bom exemplo: o dela por tomar tão importante iniciativa, o dele por cumprir o prometido.

O casal está casado há dezesseis anos, entretanto, é comum vê-los trocando olhares de cumplicidade, sorrisos e beijinhos em público.

Muitos podem pensar que um casal, após tanto tempo casados não mais demonstre carinho em público, enganam-se, isto é importante em casa ou em público.

Demonstração de amor e carinho dá vitalidade, tranquilidade e segurança ao relacionamento conjugal.

Michelle Obama é advogada, formada em Direito e Sociologia nas prestigiadas Faculdades de Princeton e Harvard, é vice-presidente de assuntos externos e da comunidade dos Hospitais da Universidade de Chicago.

Mas nada disso a impede de ser uma mãe competente, faz questão de estar presente na vida das filhas: Malia, 21 e Natasha, 18.

Seu discurso em todo o tempo de campanha foi de que ela é apenas mãe e mulher do candidato, não de profissional da política.

Que assim seja para todas as mães! Não há que confundir a importância dos papéis.

O papel de profissional , por mais importante que possa ser, não pode ser prioritários ao papel de mãe e esposa. Também não podem ser prioritários ao papel de pai e marido.

Uma mulher de fibra!

Assim como outras mulheres, Michelle também passou por diversas circunstâncias, enfrentou-as e como esposa foi o auxílio para que ele pudesse seguir carreira pública e convenhamos que bela carreira.

A mulher em seu papel essencial dentro do lar ou fora dele, sempre será a criação de Deus que foi feita para ser o apoio, ser a auxiliadora. 

Que você esposa possa  olhar  para seu esposo e  ir além – dizer para ele o quanto o admira e ama.

 

Você é um marido digno de admiração?

Para ser admirado é preciso que você seja um homem admirável.

Você é uma esposa que admira seu marido? Que reconhece o que ele tem e faz de bom? Com que olhar você tem olhado para seu marido?

Que palavras tem lhe dirigido? São olhares e palavras de apreciação, apoio e incentivo? Você quer ser amada. Mas está sendo uma mulher amável?

Apenas um olhar… Para você mesmo/a.

Apenas um olhar…

Que seja apenas um olhar percebido e registrado no coração daquele/a que tem compartilhado uma vida com você!