Você está chegando ao esgotamento?

É uma condição que pode atacar qualquer um de nós, basicamente significa que nos desgastamos pelo esforço excessivo de atingir algumas expectativas irrealistas impostas sobre nós, por nós mesmos ou pelos valores da sociedade.

A pessoa que está experimentando esgotamento é “alguém num estado de fadiga ou frustração ocasionado por devoção a uma causa, modo de vida ou um relacionamento que deixou de produzir a recompensa esperada”.

Quais as reações de uma pessoa esgotada?

Algumas pessoas que estão esgotadas ficam com raiva da família, dos amigos e dos patrões.

Essa é uma raiva que está ardendo logo abaixo da superfície, pronta para ferver e transbordar à menor provocação.

Outra reação da pessoa esgotada é a impressão de que nada mais lhe resta. É como se estivesse fugindo da própria vida.

Ela desiste de tudo, alegando que nada pode ser feito e que a bagunça toda não tem jeito mesmo.

Por não fazer nada, ela prejudica os outros, sua energia, integridade, amor e cuidado.

Esgotamento é quando você está com o tanque vazio.

Uma das causas principais do esgotamento é a falsa expectativa.

Expectativas irrealistas, sobre a vida, pessoas ou uma ocupação podem levar ao esgotamento.

Algumas mulheres focalizam o alvo que desejam atingir, sem levar em consideração a luta envolvida no processo de chegar lá.

Outra faceta das expectativas irrealistas é a crença de que “isso não pode acontecer comigo”.

Outras pessoas fracassam, mas eu não. Outras pessoas se esgotam, mas eu não, é mentira.

O que pode ser feito para vencer o esgotamento?

  •  Avalie suas metas, quais são e que propósito têm?
  •  Avalie suas expectativas. Liste-as e descubra quais são realistas e quais não são.
  •  Identifique as horas de tensão em sua vida.
  •  Esteja disposta a correr o risco de aproximar-se dos outros. Deixe que outros a ajudem a carregar sua responsabilidade.
  •  Aprenda pelo menos uma técnica de relaxamento e pratique-a com regularidade. Isso ajuda a descansar componentes críticos do sistema de emergência do seu corpo.
  •  Equilibre sua vida fazendo exercícios regularmente. Um bom condicionamento físico fortalece o sistema imunológico e aumenta as endorfinas, que são os calmantes naturais do cérebro.
  •  Descanse o suficiente, permita-se dormir o suficiente, ao contrário do que nos ensinaram numa geração anterior, a maioria de nós precisa dormir mais do que de fato dorme. O estímulo da adrenalina reduz nossa necessidade de sono – mas é uma arapuca, porque no fim pagamos o preço disso.
  •   Aprenda a ser flexível. Somente o evangelho é imutável. Suas ideias e prioridades talvez precisem mudar.
  • A flexibilidade reduz a probabilidade de frustração.
  •  Vá mais devagar. Lembre-se, Deus nunca está com pressa. A “pressa” é uma característica humana causada por planejamento inadequado e má administração do tempo. A pressa aumenta o “desgaste” do nosso corpo e mente e aumenta a produção destrutiva da adrenalina.
  •  Preste atenção aos pequenos aborrecimentos. eles têm mais probabilidade de matá-la do que os grandes. As pequenas irritações do dia a dia são as mais letais.
  •  Foque seu trabalho e use o tempo para coisas essenciais. Reduza as redundâncias, elimine as atividades desnecessárias, evite coisas que exigirão demais de você e aprenda a dizer não bondosamente, sem ofender e sem experimentar uma sensação de culpa.
  • Permaneça em contato com a realidade. Não consinta que suas ambições extrapole os limites de suas capacidades.
  •  Evite condições de impotência; assuma o controle e implemente uma estratégia para enfrentar qualquer coisa, por mais insignificante que seja.
  •  Se você não puder solucionar uma área importante de conflito de sua vida, deixe-a. Passe adiante, se necessário. As noções de sermos super-humanos nos mantêm em severas situações de conflito.

 

Escrito por: H. Norman Wright

Editora: Bompastor

 

O que você pensa sobre sexo oral?

No relacionamento conjugal existem pessoas que acreditam que o sexo oral é pecado, outras não,  cada pessoa participa do estabelecimento do padrão sexual à luz do que a Escritura ensina e do que cada pessoa gosta. Nenhum dos dois deve ter poder sobre o outro na prescrição. O Novo Testamento ensina que os homens e as mulheres são iguais em termos de valor, capacidade e posição diante de Deus.

Os homens não têm direitos sexuais que as mulheres não possuem. Cada um tem tantos direitos quanto o outro.

Quem estabelece os padrões para o comportamento sexual?

As passagens do Novo Testamento que ensinam sobre o relacionamento sexual entre marido e esposa começam ou terminam com uma ordem de mutualidade.

Cada um deles precisa ter suas necessidades satisfeitas, e isso significa que ambos devem descobrir o que é agradável para o outro.

Uma das barreiras no relacionamento sexual é a ignorância, tanto das Escrituras quanto do processo sexual.

O que você tem lido que afirma clara e objetivamente o que a Escritura diz sobre o sexo?

O que vocês dois já leram sobre a resposta sexual? Vocês já leram O Sexo É Um Presente de Deus, de Joyce e Cliff Penner? Essa é uma leitura obrigatória para casais de todas as idades, mesmo aqueles que já estão casados há trinta anos ou mais. Por quê?

Porque tenho descoberto mais falta de informação com casais que estão casados há mais tempo do que com aqueles que são mais jovens.

Provavelmente, a pergunta feita com mais frequência sobre sexo é sobre sexo oral.

Sexo oral refere-se ao estímulo oral dos órgãos sexuais por qualquer dos cônjuges usando a língua ou boca nos órgãos do outro.

Cliff e Joyce Penner demonstram em seu livro, The Joy of Sex (A Alegria do Sexo), que Cantares de Salomão refere-se ao casal estimulando-se mutuamente dessa forma (Ct 4.16).

Isso pareceria indicar que, de acordo com a Escritura, não há nada errado com esta prática. Mas essa é apenas uma inferência, já que a Escritura não fala claramente que isso é certo ou errado. Qualquer erro com relação a isso poderia ocorrer quando um cônjuge tenta forçar sexo oral sobre o outro. Nada deve ser feito que ofenda a outra pessoa.

Sexo oral pode ser um problema se perder seu propósito de aumentar o estímulo com vistas a completar o ato sexual e se tornar um substituto para a relação sexual.

Em alguns casos, mesmo quando a mulher não sente prazer com o sexo oral, cederá aos pedidos do marido.

E aí ele perde interesse em satisfazer as necessidades dela através da relação sexual. O sexo oral é tão natural quanto a estimulação dos seios, boca ou ouvidos.

Alguns expressam preocupação sobre ele ser um ato anti-higiênico.  Se o corpo estiver lavado e limpo, a contaminação não se espalhará dos órgãos genitais ou da boca.

O mais importante princípio a ser seguido é o de descobrir do que seu cônjuge gosta, e não pedir ou forçar nada que o ofenda.