Compartilhe!

Após a morte, descobri que ele me traía

O marido de minha amiga faleceu há seis anos. Um dia após seu sepultamento ela descobriu que ele tinha três filhos fora do casamento que apareceram em sua casa para reivindicar seus direitos a herança. Não aguentando a pressão e o desgosto com a traição ela teve um surto psicótico, diagnosticado pelos médicos, diante do quadro foi internada numa clínica psiquiátrica onde permaneceu por cerca de um mês.

Após o tratamento voltou para casa, mas temporariamente ficou incapacitada de exercer suas responsabilidades do lar e cuidar do seu filho adotivo devido aos efeitos dos medicamentos que usava. Hoje, ela leva uma vida relativamente normal, apesar da tristeza, mágoa e um forte sentimento de inferioridade. Existem golpes na vida, que ferem de tal forma a alma que podem levar as pessoas a um processo de morte psicológica. É impossível dimensionar a dor no coração de uma mulher que, após a morte do marido com o qual construiu um projeto de vida, fica sabendo que na verdade estava casada com alguém que a traía.

 

Como superar a traição?

A traição, por natureza, é um golpe baixo e quando não tem como confrontar o traidor, discutir e desabafar porque a pessoa morreu, é pior ainda. O surto psicótico é a evidência da força do golpe sofrido nas emoções. Porém, há um convite de Jesus que pode reverter esse quadro com cura, restauração e vitória sobre a amargura que foi gerada. Ouça esse convite:

 

“Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; acharei descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mt 11:28-30)

 

Quem é traído fica com a alma cansada, sobrecarregada e ferida, precisando de alívio. Jesus diz: “Vinde a mim” Ele diz “Eu posso, não apenas curar, mas também fazer descansar a sua alma”.

Ele não apenas trata a alma, mas também ensina a pessoa a viver com saúde interior: “Aprendei de mim…” Em segundo lugar, é preciso aceitar que, não há cura para as feridas da alma, se não houver liberação de perdão. (Mt 18:21-22).

 

Quais as consequências do perdão?

 

O perdão é a faxina do coração, é a cura das memórias amargas, é a amnésia do amor. Quem não perdoa não tem paz e nem pode adorar a Deus. Sabemos que não é fácil perdoar, mas é possível por causa da graça de Deus a nós dispensada. Perdoar não é uma opção, é um ato de obediência à Palavra de Deus que diz: “E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas”. (Mc 11:25).

Perdoar é uma decisão de alguém que compreendeu a graça de Deus, e graça é favor imerecido. O perdão nos liberta do passado e faz o sol brilhar no presente trazendo vida abundante. (Jo 10:10).

Somente o perdão cura o coração de uma traição. É importante tomar essa decisão para que haja cura e restauração da alma e para voltar a ter uma vida normal e de paz.


Administrador

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Duis arcu lectus, interdum a aliquet non, mollis a lorem. Nunc leo metus, vehicula nec metus in, pharetra pellentesque libero.

Compartilhe!
Colabore!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>